Paulo Gustavo, um dos maiores humoristas do Brasil na atualidade, foi mais uma vítima da Covid-19. O artista faleceu logo quando começou a planejar a sua carreira internacional. Paulo Gustavo havia assinado um contrato de longo prazo com a Amazon para fazer parte da plataforma de streaming.

O contrato do humorista começaria a valer em 1º de janeiro de 2022, com duração de cinco anos. Até lá, o artista iria cumprir seus compromissos profissionais como contratado do Grupo Globo.

Se não fosse pela Covid-19, Paulo Gustavo teria começado a gravar a série Minha Mãe é Uma Peça, uma parceria do Multishow e Globoplay. Roteiro, cenário e figurinos já estavam prontos.

Advertisement

As negociações entre o ator e a Amazon levaram mais de dois anos de conversas até que o contrato fosse assinado. Alguns dos fatores que ajudaram na decisão pela Amazon foram a internacionalização de sua carreira e a chance de assinar como produtor-executivo de seus projetos. A proposta era fazer séries, filmes e especiais de fim de ano.

Paulo Gustavo morreu aos 42 anos após complicações causadas pela Covid-19. O ator estava internado no Rio de Janeiro desde 13 de março e faleceu na última terça-feira (04). 

Advertisement

No fim do ano passado, Paulo Gustavo gravou um vídeo falando sobre amor, pandemia e a expectativa da vacina, que não chegou a tempo para imunizá-lo contra o novo coronavírus. “Enquanto essa vacina tão esperada não chega para todo mundo, é bom lembrar que contra o preconceito, contra a intolerância, a mentira, a tristeza, já existe vacina, o afeto. É o amor. Então, diga o quanto você ama quem você ama. Mas não fica só na declaração, não, ame na prática, na ação. Amar é ação. Amar é arte. Muito amor, gente. Até logo”, disse.

Paulo Gustavo deixa o marido, o médico Thales Bretas, e os filhos, Romeu e Gael, de 1 ano e 9 meses.

Advertisement
Advertisement