A bruxa das demissões parece estar solta na Globo. A emissora estaria montando um plano de desligamento em massa em todo o departamento operacional dos canais do grupo, incluindo na TV aberta. Nos bastidores, o processo é visto como irreversível.

O objetivo seria o corte de gastos para aumentar o foco em áreas mais estratégicas, como a otimização da tecnologia e a modificação no serviço de streaming. As informações do colunista Leo Dias afirmam que as demissões já devem começar no próximo mês.

De acordo com o Uol, a emissora carioca fechou o primeiro semestre de 2021 com um prejuízo de mais de R$ 144 milhões. Este número representa uma piora em 122% em relação ao ano anterior, em que a Globo obteve um prejuízo de R$ 51 milhões no mesmo período.

Advertisement

Em um relatório divulgado ao mercado em setembro, a emissora afirmou que realizou no primeiro semestre de 2021 uma “diminuição de R$ 281 milhões em pessoal como resultado das iniciativas contínuas de corte de custos, explicadas principalmente pela diminuição no número de funcionários devido à reestruturação corporativa desde 2019 e o menor custo de elenco”.

Além disso, as rescisões e dissídios também pesaram nas contas da Globo, que informou ter tido um “aumento de 48 milhões nas despesas pessoais explicado principalmente por indenizações e também por reajustes salariais anuais do sindicato trabalhista em acordos coletivos de trabalho”.

Advertisement
Advertisement