As Olimpíadas de Tóquio começam nesta semana, mas os profissionais da Globo já estão no Japão dando início à cobertura dos jogos. No entanto, membros da equipe já foram acusados de darem dor de cabeça à emissora. De acordo com informações do colunista Flávio Ricco, do portal R7, o repórter cinematográfico Mikael Fox, foi trazido às pressas para o Brasil após ser acusado de assédio por duas produtoras.

De acordo com o jornalista, o caso aconteceu quando a equipe foi obrigada a fazer quarentena no hotel, ao chegar no Japão. Houve uma “festinha” em um dos quartos, onde o cinegrafista teria se excedido.

Após o ocorrido, as produtoras entraram em contato com a chefia da emissora, reclamando da postura do colega. Para tentar abafar o caso, Mikael foi trazido de volta ao Brasil e, assim que chegou ao país, foi comunicado sobre sua demissão. Ele tinha 14 anos de casa.

Advertisement

Sobre o caso, a Globo divulgou a seguinte nota: “Por decisão da Globo, que não foi tomada por nenhum profissional do time que está em Tóquio, o repórter cinematográfico Mikael Fox não faz mais parte do time de Esporte da empresa. Sobre os questionamentos de compliance, a Globo comenta assuntos de Ouvidoria, mas reafirma que todo relato de assédio, moral ou sexual, é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento. A Globo não tolera comportamentos abusivos em suas equipes”.

Advertisement
Advertisement