Nomes renomados como Renato Aragão, Zeca Camargo e Vera Fischer fazem parte de uma longa lista de artistas que não tiveram os seus contratos renovados com a Rede Globo. Mas qual seria o real motivo para tantas demissões?

A resposta seria a crise causada pela pandemia do novo coronavírus, que reduziu as receitas publicitárias da emissora e a obrigou a acelerar o projeto “Uma só Globo”, que unifica cinco unidades de negócios, entre elas Globosat e Globoplay.

O pacote de corte de custos, com demissões inclusas, foi confirmado por Manuel Belmar da Costa, CFO (diretor financeiro da Globo). “O pós-Covid-19 traz a necessidade de aceleração das mudanças. A economia parou, o mundo parou, não só a Globo”, explicou.

Advertisement

“Haverá corte de pessoas, haverá corte de estrutura, e a gente vai ter desligamentos em junho, sim. Mas não te passaralho [demissão em massa], tem um processo contínuo de transformação”, afirmou Belmar.

Para diminuir os custos, a Globo agora está trabalhando com uma nova forma de contrato, em que os artistas recebem por trabalhos feitos e não fazem mais parte do quadro fixo da emissora.

Advertisement

De acordo com Belmar, 2020 vai ser um “ano catastrófico”, com uma queda de mais de 5% do PIB (Produto Interno Bruto). Nesse “cenário muito difícil, as empresas que tomarem decisões difíceis vão sair mais fortes”, afirmou o diretor financeiro da emissora. “Esse não é um projeto [Um só Globo] para reduzir gente. É para assegura mais 50 anos de nossa história”, disse ele.