Geralmente muito querido nas redes sociais, o Padre Fábio de Melo entrou em uma grande polêmica nesta semana.



> Demitido do Encontro, humorista ironiza Fátima Bernardes e constrange Anitta; confira aqui
Em um vídeo que já foi visto por mais de 3 milhões de pessoas, ele debocha da religião africana Candomblé enquanto ministra uma missa.

“Com todo o respeito a quem faz a macumba. Pode fazer e pode deixar na porta da minha casa que, se estiver fresco, a gente come”, disse ele.

Apesar de ter parecido algo suave, muita gente ficou incomodada e acusou o Padre de promover a intolerância religiosa.




A polêmica foi tão grande que até o babalaô Ivanir dos Santos, que representa a luta contra a intolerância religiosa, o notificou sobre o caso.

Reconhecendo o erro, Fábio foi ao Twitter para se desculpar publicamente: “Sempre manifestei publicamente o meu respeito a todas as religiões. O candomblé fez parte da minha origem. Nunca quis ofender ou desmerecer quem quer que seja. Apenas expressei, durante uma celebração cristã, convicções cristãs. Peço perdão aos que se sentiram ofendidos”, disse.

> Rodrigo Faro cancela festa de casamento que pagaria pra Carlos Alberto, veja o que aconteceu




Ele continuou esclarecendo a situação: “Já fiz um contato com o babalorixá Ivanir dos Santos. Ele foi extremamente gentil comigo. Nosso desejo é esclarecer que tolerância religiosa não significa abrir mão do que cremos ou não cremos, mas conviver harmoniosamente, colaborando na construção de um mundo melhor”




1 COMMENT

  1. Não sou católico mas apoio a coragem do padre neste caso- PORQUE MUITOS DOS QUE EU CONHEÇO PENSAM Do MESMO MODO MAS NÃO TEM CORAGEM DE SE EXPRESSAREM, PORQUE MUITAS REDES DE TELEVISÃO PARA PODEREM SEREM CORRETAS POLITICAMENTE SÓ FALTAM TE ESGANAR OU COMO OS CATÓLICOS GOSTAM DE EXPRESSAR -CRUCIFICAR A OPINIÃO CONTRÁRIA A DELES- E estes se dizem democratas. Você é quase obrigado a aceitar o que eles querem lhe é lançado e pronto. VC NÃO PODE TER OPINIÃO PRÓPRIA TEM QUE TER A OPINIÃO QUE ELES QUEREM. ENTÃO QUEM SÃO OS DITADORES.

Comments are closed.