Em tempos onde os relacionamentos virtuais estão a todo vapor, ninguém consegue escapar de expor um pouco de intimidade na internet.




Fotos publicadas no Facebook, por exemplo, podem ser colocadas em outros locais por pessoas com segundas intenções, como aconteceu com o jornalista brasileiro Chico Felitti, que contribui com o site Buzz Feed.

>Após se assumir gay, primo de William Bonner recebe mensagem do jornalista

Ele foi vítima de um homem que usou suas fotos pessoas para criar um perfil fake no aplicativo de pegação gay, o Grindr.

Após ser alertado por um amigo, ele descobriu que estava sendo usado para atrair pessoas desavisadas. Em um longo texto, ele conta como foi o processo de caça do homem que criou o fake.




“Lá estava eu, na tela do celular, em uma das minhas fotos preferidas: forçando o muque direito enquanto olhava para a câmera com um olho fechado, imitando a pose do marinheiro Popeye. Só que não era eu que estava por trás do perfil na tela. A foto estava sendo usada num aplicativo de sexo gay por outra pessoa, que estava online naquele fim de tarde de quinta-feira de fevereiro”, diz Chico.

>Manda nudes! Descubra qual melhor app pra enviar e receber fotos

“A faxineira, que conheço há cinco anos e está limpando o quarto quando chego, me aconselha: “Vai com a camiseta que você está na foto que ele usa de perfil. Imagina o quanto isso vai ser louco”., conta ele em sua primeira tentativa de encontrar o responsávael.

Sem sucesso, ele conta com a ajuda de um amigo em comum com o fazedor de fake e finalmente consegui ficar de cara com ele. O problema é que nem tudo são flores.




Veja a história completa postada no Buzz Feed News clicando aqui.