Quando o assunto é homossexualidade, um dos maiores tabus é ralação entre passivo e ativo. Muitas vezes associada erroneamente à posição de dominação e submissão, a preferência tem haver com muitos outros fatores.

Neste post levaremos em consideração três pesquisas para falar sobre o tema. Vejamos:




Pesquisa 1 – Universidade canadense.

Uma recente pesquisa canadense, da Universidade de Toronto Mississauga, revelou algumas curiosidades sobre a relação entre passivos e ativos.

Segundo os dados, a proporção de ativos e passivos para os gays é proporcional ao número de homens e mulheres entre os héteros. Também concluiu que, entre os entrevistados, os que tinham um órgão sexual menor preferiam ser passivos.

Pesquisa 2 – Hornet

Já um aplicativos de encontros gay quis saber, a nível mundial, qual a preferência na cama de cada país. No Brasil, descobriu-se que a maioria dos gays se considera versátil.

36% dos que participaram da pesquisa se consideram totalmente versáteis, enquanto 17% se dizem ativos e 20% passivos. O restante se divide entre versáteis-passivos e versáteis-ativos.

Internacionalmente, a China é o país com mais passivos no mundo, enquanto a Turquia é o país com mais ativos.

Em relação aos versáteis, só Alemanha e Itália supera o Brasil.




Pesquisa 3 – Manhunt

Esta outra rede social gay também teve a curiosidade de pesquisar sobre a relação entre ativos e passivos, mas desta vez, dentro do Brasil.

Sem considerar os versáteis, a maior parte do país se declarou como gay ativo. Apenas 9 estados são de maioria passivos.